08/07/2017 - Bram Stoker e Arthur Schnitzler em "Drácula" e "A Próxima"



Amor e Morte


Luz e Trevas


Sonho, desejo e realidade...


O que é o Amor?


Como ele se insere em nossa alma poética?


Como aceitar a ausência da figura amada?


Como enterrar a dor?


[...]


Conto | "A Próxima" (Arthur Schnitzler - 1832/1931) - ( Leia Aqui )


No conto “A próxima” escrito em 1899, Arthur Schnitzler narra uma história na qual o personagem central, Gustav, ao ficar viúvo, encontra, depois de algum tempo, uma mulher estranha que mantém com a esposa morta uma grande semelhança, de tal modo que ele alimenta o também estranho desejo de restaurar sua vida.


Dramaturgo, contista, ensaísta, novelista e romancista, Arthur Schnitzler elaborou na ficção aquilo que Sigmund Freud (1856-1939) estudava na ciência.


A semelhança biográfica entre os dois autores é muita. Ambos nasceram e viveram em Viena e foram contemporâneos. Os dois foram médicos e intelectuais judeus de calibre e inclusive o desenvolvimento profissional foi parecido: os dois estudaram hipnose e foram alunos do médico Theodor Meynert.


Schnitzler e Freud foram acusados de imoralidade e pornografia e suas obras surgiram paralela e simultaneamente. Schnitzler escreveu novelas que podem ser analisadas como casos clínicos; Freud disse que seus relatos de casos clínicos poderiam ser lidos “como novelas” ou “romances analíticos”.


Numa entrevista Schnitzler disse que se sentia “irmão gêmeo” de Freud. E Freud escreveu, em carta de 14 de maio de 1922, homenageando os 60 anos de Schnitzler:


“Penso que eu tenha evitado o contato convosco devido a uma espécie de medo do duplo [Doppelgängerscheu].”


“Que saberíamos do amor e do ódio, dos sentimentos éticos e em geral de tudo o que chamamos de si mesmo, se isso tudo não tivesse passado à linguagem, articulado pela literatura?”


Paul Ricoeur


[...]


Filme | Drácula (Bram Stoker) - ( Assistir Aqui )


No século XV, um líder e guerreiro dos Cárpatos renega a Igreja quando esta se recusa a enterrar em solo sagrado a mulher que amava, pois ela se matou acreditando que ele estava morto.


Assim, perambula através dos séculos como um morto-vivo e, ao contratar um advogado, descobre que a noiva deste é a reencarnação da sua amada. Deste modo, o deixa preso com suas "noivas" e vai para a Londres da Inglaterra vitoriana, no intuito de encontrar a mulher que sempre amou através dos séculos.


Gary Oldman está irretocável na busca eterna por seu amor perdido.


Winona Ryder literalmente cresce com a descoberta do amor e seus desígnios.


Antony Hopkins transita entre a loucura e a razão ​com seu Van Helsing.


Coppola seduz, atormenta, fascina e enlouquece com sua direção.


Schnitzler e Coppola nos trazem a negação do luto que resulta na criação do duplo para aplacar a dor.


[...]



Esperamos por você.


Material de Apoio:


ACESSE O CONTO - ( Leia Aqui )


ASSISTA AO FILME - ( Assistir Aqui )


Quando?


08/07/2017 às 16h.


Onde?



Av. Moema, 493 – Moema




Realização





Participação




www.acasafrida.com.br



Patrocínio










Av, Jurema, 383.


Al. dos Aicás, 620.


Av. Juriti, 218.


Rua Inhambu, 1285 E







5 visualizações0 comentário