sáb., 03 de ago. | Livraria da Vila

A Arvore da Vida, Father and daughter, A Terceira Margem do Rio- Mallick, Dudok, Guimarães e Caetano

Roda de Conversa sobre o conto "A Terceira Margem do Rio" de Guimarães Rosa e o filme "Father and daughter" de Michael Dudok de Wit, o filme "A Árvore da Vida" de Terrence Mallick, e a música "A Terceira Margem do Rio" de Caetano Veloso.
A inscrição está fechada
A Arvore da Vida, Father and daughter, A Terceira Margem do Rio- Mallick, Dudok, Guimarães e Caetano

Horário e local

03 de ago. de 2019 16:00 – 18:00
Livraria da Vila, 002 - Alameda Lorena, 1731 - Jardim Paulista, São Paulo - SP, Brasil

Material de Apoio

Conto | A Terceira Margem do Rio  (Guimarães Rosa) -  ( Clique aqui

 "A  terceira margem do rio” é um conto que narra, através da visão do  filho, a história de um pai de família do interior. Sem motivo aparente e  sem se dizer qualquer palavra, ele decide passar o resto de seus dias  em uma canoa, no meio de um grande rio.

Filme 1 | Father and daughter  (Michael Dudok de Wit)  -  ( Vimeo )

Em  apenas oito minutos, Dudok conta a saga da personagem que, ainda  criança, vê o pai pela última vez. Ano após ano, e sempre de bicicleta,  retorna ao lugar da despedida, às margens de um rio, esperando que ele  volte. 

Oscar de melhor Curta-Metragem de Animação e Prêmio BAFTA de Cinema 

Filme 2 | A Árvore da Vida  (Terrence Mallick)  - ( NOW )

O filme aborda as origens e o significado da vida pelos olhos de uma família da década de 1950 no Texas, tendo temas surrealistas e imagens através do espaço e o nascimento da vida na Terra.

Considerado um dos 10 melhores filmes do mundo, recebeu a Palma de Ouro em Cannes em 2011. 

Música | A Terceira Margem do Rio  (Caetano Veloso)  - ( YouTube )

A canção "A Terceira Margem do Rio", com música de Milton Nascimento e letra de Caetano Veloso, foi composta em 1991, explicitamente a partir do conto homônimo de Guimarães Rosa. A canção está no disco Circuladô (1991), de Caetano Veloso.

Os  rios, as travessias, o ciclo da vida, as perdas, a culpa, a oralidade, a  imagem e a música nos trazem o sertão de Guimarães, as terras longínquas da Holanda por Dudok, a genialidade de Malick, a palavra poética de Caetano e a sensibilidade de Milton Nascimento. 

Rio Pau Enorme Nosso Pai.

A inscrição está fechada

Compartilhe este evento